Que Horas Ela Volta? – Crítica

  Olá pessoas, eu estava em devaneio esses dias e lembrei do filme “Que Horas Ela Volta”, um filme brasileiro estrelado por Regina Casé, que atuou e ajudou a escrever o roteiro.

Que horas ela volta

 O filme se passa em São Paulo e conta a história de uma doméstica, que é chamada o filme inteiro de “Val“, e essa trabalha na casa de uma família há muito tempo, pois precisa mandar dinheiro para sua filha (Jéssica) que está sobre os cuidados da irmã.

  O tempo passa e Jéssica chega à idade de prestar vestibular, então ela vai para São Paulo para fazer a prova e, posteriormente, morar com a mãe achando que terá mais oportunidades do que em uma cidadezinha do interior. Sua mãe compra a ideia e à recebe na casa dos patrões, pois é lá que vive e trabalha. A garota não compra a ideia de ter que morar no local de trabalho da mãe, e com o tempo começa a perceber alguns perrengues que mãe passa e os sapos que ela precisa “engolir” para garantir o pão de cada dia.

 -//-

  O filme basicamente é uma crítica sobre essa hierarquia que existe entre patrões e funcionários, abordando temas como preconceito, abuso, assédio e muitos outros. Conseguindo trazer a realidade mostrada de outro angulo, sem a necessidade de uma ficção.

  A atuação da Regina Casé está impecável, mas também só a dela. Tem atores um pouco meia boca na trama, que fazem o longa parecer um trabalho escolar. A história é bem construída e desenvolvida, mas ainda há pontos sem nó que poderiam ter sido melhor estudados.

O cenário mais presente em todo o filme é a cozinha, depois de 1h de filme você pode ter uma noção perfeita do espaço do cômodo. A personagem Jéssica é a “inteligente, intelectual” da história, mas aparece apenas uma cena estudando. A mesma está acomodada na casa dos patrões da mãe, mas se recusa a obedecer as regras da casa e se irrita com as broncas.

  O longa não mostra nenhuma agressão verbal direta, mas tem como ver nitidamente o preconceito emitido pela patroa com a jovem Jéssica. Algumas cenas chegam a ser revoltantes, mas infelizmente é a nossa sociedade sendo retratada em uma tela.

  Acho que o filme foi um bom inicio de argumento para esse tema da desigualdade social que acontece com empregadas domésticas diariamente. Essa humilhação constante que nem as próprias empregadas conseguem ver, de tanto que acontece, mas elas sentem.

  Parabéns para a Regina Casé e á Anna Muylaert (diretora do filme).

Anúncios

4 pensamentos sobre “Que Horas Ela Volta? – Crítica

  1. Pingback: 9 Filmes para você assistir quando estiver morrendo de tédio | Saga Das Músicas

Comenta ai :]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s